No relançamento da Bancada do Norte, Airton Faleiro pede que colegas deixem de lado as diferenças e foquem na união; “Se a gente quiser ter sucesso, nós temos que separar o que nos divide do que nos une”

Na foto de Felipe Santos, o petista paraense Faleiro ao lado da bolsonarista Silvia Waiãpi (PL-RR), pede moderação dos companheiros da Bancada do Norte para que agrupamento parlamentar tenha sucesso

Petista paraense reforçou que o colegiado suprapartidário, para funcionar, precisa de agenda; Faleiro sugeriu ainda que agrupamento inicie sua luta com objetivo de “resolver as cláusulas resolutivas” para alcançar uma solução definitiva na regularização fundiária.

 

(Brasília-DF, 24/04/2024) No relançamento da Bancada do Norte ocorrido na última quarta-feira, 24 de abril, o deputado Airton Faleiro (PT-PA) pediu que os colegas parlamentares da região amazônica deixem de lado as diferenças e foquem na união. “Se a gente quiser ter sucesso, nós temos que separar o que nos divide do que nos une”, comentou.

 

O petista paraense reforçou ainda que o colegiado suprapartidário, para funcionar, precisa possuir uma agenda clara e consensual entre os 57 deputados e 21 senadores nortistas eleitos pela população amazônida. Faleiro sugeriu também que agrupamento inicie sua luta com objetivo de “resolver as cláusulas resolutivas” para alcançar uma solução definitiva na regularização fundiária.

 

“Eu estava observando, eu lembro quando o Sidney Leite me consultou, se eu topava participar em criar a Bancada do Norte. Ele disse, olha, ‘está mais do que na hora, né?’ Então, só para reafirmar o nosso posicionamento favorável a essa bancada. Como eu estou de cabelos brancos, aposto em alguns conselhos, estou no meu sexto mandato, quatro de estadual, dois de federal, se eu terminar esse, né? Quero terminar. Eu acho o seguinte, se a gente quiser ter sucesso, nós temos que separar o que nos divide do que nos une. Se a gente insistir no que não nos une, a gente não vai se juntar”, observou.

 

“Agora eu estava pensando aqui, se a gente pegar as pautas que nos une, são muitas. Pautas emergenciais, pautas estruturais. Então, o conselho é esse, vamos pegar o que nos une, certo? Segundo, fazendo o coro que já disseram aqui, inclusive o Raimundo [Santos] falou aqui, de que nós precisamos fazer uma agenda. Quem não é visto não é lembrado, pessoal. Nós temos que fazer uma agenda. Fazer agenda no Executivo, de repente com o presidente da Câmara, com o presidente do Senado. Por exemplo, foi criada agora a Secretaria Especial da COP [Conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas]. Bora fazer uma agenda da Bancada do Norte com o secretário da COP”, complementou.

 

Sugestões

Faleiro sugeriu ainda que a Bancada do Norte agendasse uma reunião com sua esposa, Raimunda Monteiro, que integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável – conhecido como “Conselhão”, criado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ouvir empresários e a sociedade civil organizada.

 

“A minha esposa está aqui [no encontro da Bancada do Norte], Raimunda Monteiro, que é secretária. Secretária adjunto do Conselhão. Por que não pedir uma reunião, já podemos falar com ela aqui, de que nós queremos uma agenda, se ela brigar comigo – depois vocês me defendem. Bora fazer uma agenda com o Conselhão, nós queremos dizer para o Conselhão que consulta, que ouve, que ouça a gente do Norte, nossos ministros do Norte, podemos começar por eles, então eu acho que fazer uma agenda é muito importante”, opinou.


“Mas eu queria acrescentar aqui, dar dois exemplos de pautas mais emergenciais que podem nos unificar. Hoje nós estávamos no debate com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, e lá ficou certo que nós queremos que retorne e que se aprove a resolução favorável à extinção das cláusulas resolutivas que trata da regularização fundiária. Se não resolver as cláusulas resolutivas não resolve a regularização fundiária. Alterar o decreto que trata sobre regularização em florestas, áreas de florestas públicas, não soluciona o problema. E eu termino aqui fazendo uma proposta de pauta. Se outros estados brasileiros não têm interesse em criar novos municípios, nós do Norte, nós da Amazônia, temos interesse. Acho que essa é uma pauta também que tem que estar aqui na nossa Bancada do Norte”, finalizou.


(por Humberto Azevedo, especial para a Bancada do Norte, com edição de Genésio Jr.)

Deixe um comentário

No relançamento da Bancada do Norte, Airton Faleiro pede que colegas deixem de lado as diferenças e foquem na união; “Se a gente quiser ter sucesso, nós temos que separar o que nos divide do que nos une”